5 elementos | Nem todo dinheiro do mundo paga o silêncio da mata.
Fechar X
Porque apagar a luz:
Já é um conhecimento antigo que os monitores gastam mais energia para produzir a cor branca do que a cor preta (74 e 59 watts, respectivamente). Se pegarmos como exemplo o Google, considerando que são 200 milhões de visitas diárias e que cada usuário fique 10 segundos no site, se o fundo da página fosse preto haveria uma economia de 750MWh/ano, que é suficiente para abastecer 284 famílias! Você já ajuda o planeta com um simples gesto. Basta apagar a luz! ;-)

acompanhe:

Nem todo dinheiro do mundo paga o silêncio da mata.

publicado em: 12/06/2012

Neste 05 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, dormi no Centro Paulus, no meio da Mata Atlântica de Parelheiros, na Região Sul da Cidade de São Paulo, Área de Proteção Ambiental (APA). O Centro Paulus recebe grupos de pessoas com foco no desenvolvimento pessoal; o local é maravilhoso, com muitas árvores no entorno, no topo da montanha. Frequento o local há mais de 10 anos, e sempre que estive por lá, tive ótimas noites de sono, pois aprecio o silêncio que o local proporciona.
Ao deitar minha cabeça naquele delicioso e macio travesseiro, ouvi sons de carros e caminhões e pensei: mas cadê o silêncio da mata? A última vez que dormi por aqui foi em 2009, quando o Instituto 5 Elementos realizou o projeto “Educação ambiental para incentivar a agricultura orgânica da APAS – Capivari-Monos e Bororé-Colônia”, região sul de São Paulo, e naquela ocasião, como nas anteriores, o silêncio nos trazia um sono profundo e recuperador das forças sugadas pelo barulho urbano.
Não acreditei quando percebi o impacto real do Rodoanel, que roubara de todos os habitantes da região o direito ao silêncio. Fiquei extremamente incomodada com aquela situação, mas estava tão cansada, que depois de um banho quente, acabei adormecendo e tendo sonhos fortes.
Ao acordar, pude perceber que aqueles sons irritantes de se aguentar na mata continuavam. É interessante perceber que quando estou na cidade, sou mais complacente para aguentar esse tipo de situação, mas no meio da mata, isso me causou um enorme desconforto físico e emocional.
E quero perguntar a você quanto custa o silêncio na mata, pois, que eu saiba, nenhum dos inúmeros serviços ambientais que a DERSA deverá implantar na região, e que ainda não foram efetivados, irá refrescar esta situação!
Deixo aqui esta mensagem de indignação em relação ao nosso descontrole real com o impacto que causamos ao meio ambiente. Para contornar essa realidade desastrosa, sugiro fechar o RODOANEL das 22h às 6h da manhã, para dar um pouco de PAZ a todos os seres vivos que vivem na mata e que precisam do silêncio, assim como precisamos da água, da floresta e da vida!
 
Mônica Pilz Borba – Pedagoga e Educadora Ambiental.
Fundadora e coordenadora do Instituto 5 Elementos – Educação para a Sustentabilidade
 

compartilhe esta notícia:

Comentários

Data: 04/07/2012

Autor: Mônica Borba

Comentário: Ana acho que além da paralização noturna será necessário redutores sonoros!

( responder )

Data: 12/06/2012

Autor: Ana Zilda Rodrigues Coutinho

Comentário: Concordo com a sugestão da Mônica, moro a seis quilômetros do Centro Paulus e o barulho do rodoanel nos rouba o silêncio e espantou a fauna da região

( responder )

Escreva seu comentário:

integre-se

AGENDA

Nenhum evento para o mês selecionado!
AGOSTO

siga

Fechar X
Cadastre-se:
Insira seu e-mail abaixo para fazer parte de nosso mailing. Marque as opções de acordo com o tipo de comunicados que você deseja receber de nós, e seja bem vindo!