Nova opção de consumo responsável em São Paulo*

O secretário Eduardo Jorge (SVMA) faz compras com sua ecobag.

Desde 15 de outubro, São Paulo passou a contar com uma nova e inusitada opção de feira livre, no parque Burle Marx, que oferece produtos agrícolas produzidos exclusivamente dentro da capital paulistana, tais como alface, rúcula, ervilha, morango, broto de bambu, inhame, ervas aromáticas, caldo de cana, plantas ornamentais e muitos outros. Tudo produzido sem o uso de agrotóxicos e ofertado pelos próprios agricultores, que residem e trabalham no extremo sul da cidade, nas Áreas de Proteção Ambiental (APAS) Capivari-Monos e Bororé-Colônia. Esses agricultores fizeram parte do projeto de Agricultura Orgânica do Instituto 5 Elementos nestas APAs e, agora, têm a oportunidade de comercializar os seus produtos.

Para a realização da feira, foi fundamental uma grande articulação de organizações da sociedade civil e governamentais, a fim de possibilitar a superação dos diversos desafios para o estreitamento da relação entre produtores e consumidores.

O primeiro desafio foi e ainda é a mudança na forma de cultivo, passando da agricultura convencional – com o uso de agrotóxicos e adubos químicos – para a agricultura de base agroecológica, que adota práticas sustentáveis de manejo. Esta transformação vem sendo impulsionada, nos últimos anos, pelo Fundo Especial de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (FEMA) da Prefeitura de São Paulo, em parceria com os Conselhos Gestores das APAs Capivari-Monos e Bororé-Colônia e diversas ONGs responsáveis por oferecer assistência técnica, fazer sensibilização e apoiar a organização dos agricultores.

O grupo de agricultores que participa da feira no Burle Marx está em processo de certificação participativa por um projeto desenvolvido pela Associação Brasileira de Agricultura Biodinâmica (ABD), também com financiamento do FEMA.

Outro grande desafio é a comercialização, por canais que valorizem a produção agroecológica e compreendam o processo de transição até a certificação. Nesse sentido, a elaboração do Protocolo de Boas Práticas Agroambientais – que permite a utilização do “Selo de Indicação de Procedência Guarapiranga” – criado pela parceria formada entre as Secretarias Estaduais do Meio Ambiente, de Agricultura e de Abastecimento e a Prefeitura de São Paulo, levou à edição da Portaria que possibilita a emissão de matrícula de feirantes para quem aderir ao protocolo. Esse acontecimento abriu precedentes para a criação de novas feiras na capital, com agricultores paulistanos comprometidos com a produção agroecológica.

A alegria molhada dos agricultores após a desmontagem das barracas! Josualdo, Zé Mineiro, Lia, Valeria, (Arpad-Kairós), Mauri, Zundi e Ernesto.

Com o empenho da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) e da Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras (SMSP) através de ABAST, foi possível conseguir o apoio da ONG Aron Birmann, que faz a gestão do Parque Burle Marx e que cedeu o espaço para a realização da feira para os agricultores que aderiram ao protocolo de Boas Práticas e que fazem parte da recém-fundada cooperativa dos agricultores das APAs (COOPERAPAS). O Instituto Kairós – Ética e Atuação Responsável, que também tem projeto junto ao FEMA, conseguiu viabilizar as cinco barracas desta feira e apoia a organização dos agricultores para o planejamento da logística e da produção.

A feira acontece todos os sábados, das 08h00 às 13h00, Parque Burle Marx, que fica na Avenida Dona Helena Pereira de Moraes, 200, Panamby.

*Fonte: Informativo do Instituto Kairós, 01/10/2011.




Rua Catão, 1173 – Lapa – São Paulo/SP | CEP:05049-000

55 11 3871-1944

comunicacao@5elementos.org.br

Copyright © 2019 5 Elementos - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por: PWI WebStudio